Boa notícia para a fila de desempregados do Brasil. Segundo uma pesquisa, o setor varejista e de serviços deve abrir aproximadamente 103 mil vagas até o fim do ano. A maioria dos postos de trabalho é temporária ou informal, mas 45% dos empresários entrevistados afirmou a intenção de realizar contratações com carteira assinada. A pesquisa foi realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil)

A remuneração média dos profissionais corresponde a 1,6 salário mínimo, ou aproximadamente R$ 1.597, segundo a pesquisa. As funções mais procuradas são ajudante (31%), vendedor (26%), balconistas ou atendente de loja (9%), motorista (6%), caixa (4%) e estoquista (4%). Em média, a jornada de trabalho deve ser de oito horas diárias.

A perspectiva de retomada da economia até o fim do ano é o principal motivador para o aumento do número de vagas para 41% dos empresários. As 103 mil novas vagas representam um aumento de 43,8 mil postos de trabalho em relação ao previsto no ano passado.

Já sobre o uso de mão de obra informal, 54% justifica a escolha por “se tratar de uma contratação específica para o período de Natal, sendo inviável a carteira assinada”. Para 29%, essa é uma forma de “reduzir custos, uma vez que em tempos de crise, as pessoas estão mais dispostas a fazer bicos”. Outros 12% justificam que terão menos despesas com a folha de pagamento.

precisa de ajuda?